Download PDF
ads:
ITAMAR PEREIRA DE AGUIAR
DO PÚLPITO AO BAQUIÇO
RELIGIÃO E LAÇOS FAMILIARES NA TRAMA DA OCUPAÇÃO DO
SERTÃO DA RESSACA
DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS
PUC - SÃO PAULO
2007
ads:
Livros Grátis
http://www.livrosgratis.com.br
Milhares de livros grátis para download.
ITAMAR PEREIRA DE AGUIAR
DO PÚLPITO AO BAQUIÇO
RELIGIÃO E LAÇOS FAMILIARES NA TRAMA DA OCUPAÇÃO DO
SERTÃO DA RESSACA
Tese apresentada à Banca Examinadora da
Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,
como exigência parcial para obtenção do título de
Doutor em Ciências Sociais, sob a orientação da
Profª Dra. Josildeth Gomes Consorte.
PUC - SÃO PAULO
2007
ads:
COMISSÃO JULGADORA
A Antônio Braga Aguiar (in memoriam),
A Alda Pereira de Aguiar,
A Socorro, Leandro e Alexandre.
A Pai Neco (in memoriam),
A mãe Merentina (in memoriam),
A mãe Zênite (in memoriam).
AGRADECIMENTOS
A Profª. Dra. Josildeth Gomes Consorte, da Pontifícia Universidade Católica
de São Paulo, por aceitar o desafio de nos orientar na elaboração desta tese,
demonstrando competência, generosidade e confiança.
Ao Prof°. Dr. Ronaldo de Salles Senna, da Universidade Estadual de Feira de
Santana e sua esposa Profª. Célia Barberino Mendes Senna, amigos de todas as
horas, pelos empréstimos de livros pertinentes ao tema, pela paciência de ouvir e
sugerir alternativas nos momentos de dúvidas.
Ao Prof°. Ms. Eliab Barbosa Gomes, da Universidade Estadual de Feira de
Santana, amigo e colega no Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da
UESB, pelas conversas sobre o protestantismo e também pelo empréstimo de livros
alusivos aos batistas em Pernambuco.
Ao Prof°. e Bel. Ruy H. Araújo Medeiros, colega do Colegiado no Curso de
Direito da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, pelos esclarecimentos
sobre a História de Conquista e a gentileza de abrir as portas do seu arquivo pessoal
e permitir consultar sua coleção de antigos jornais editados nesta Cidade.
Ás colegas Doutoras Lívia Diana Magalhães, Ana Palmira Bittencourt Santos
Casimiro e Ana Elizabete Santos Alves, coordenadoras do projeto PQI/CAPES,
pelos trabalhos realizados e o apoio demonstrado.
Ao Prof°. Nivaldo Vieira Santana, amigo e colega da UESB e também do
Doutorado em Ciências Sociais na PUC–SP, pela representação dos meus
interesses. Agradeço, ainda, aos colegas desta jornada na UESB e na PUC–SP:
João Diógenes, Francisco Cardoso e José Rubens Mascarenhas.
A Maria do Socorro, Alexandre, Leandro e Poliana Pinto Gonçalves pelo
auxílio na computação, formatação de texto e outras tarefas; por ouvirem as minhas
cantilenas e suportarem as variações de humor, nos momentos de ansiedade.
Ao Profº Carlos Alberto Gomes dos Santos, pela correção de estrutura da
língua portuguesa do texto deste trabalho.
A Ivonilce, Vilma, Iara, Fábio, Iracema, Dilson e Augusto Cezar por nos
receber em São Paulo, no período de estudo para cumprimento dos créditos, todos
de coração aberto e sorriso largo, tornando mais agradável a vida na grande cidade.
Aos colegas professores e funcionários da UESB, do Departamento de
Filosofia e Ciências Humanas, do Museu Pedagógico e do Programa de Estudos
Pós Graduados em Ciências Sociais da PUC-SP, pela convivência saudável na
superação das dificuldades desse árduo caminho.
Aos informantes das várias manifestações religiosas existentes na Cidade,
pela cooperação e boa vontade no fornecimento de dados, pedindo desculpas por
não citar os seus nomes que são muitos e para evitar a injustiça da omissão.
Aos fiéis da “Primeira Igreja Batista Bíblica de Vitória da Conquista”, por
permitirem consultar os seus arquivos. Aos funcionários que nos atenderam
prontamente e aos que concederam generosamente as entrevistas, agradeço-os na
pessoa do Pastor José Infante Junior.
Aos pais, mães, filhos e filhas-de-santo dos Candomblés, da Mesa Branca e
da Umbanda de Vitória da Conquista, mestres na arte de receber bem, exímios
anfitriões, por contarem as histórias de suas vidas e revelarem as suas religiões, nas
pessoas dos seus líderes: Pai Jorge, Pai Rudy, Pai Lourinho, Dona Alaíde, Dona
Eliene, Mãe Carminha, Pai Geci, Pai Bonfim, Pai Leonel Nunes e Pai Cely.
Aos Informantes: José Fernandes Pedral Sampaio, Humberto Flores, Dona
Genísia Salles Mello, Genor Calixto Moreira, Antonio Severino Santos, Emanoel
Marcos Silva, Glauba Lopes Ferraz Freitas, Lys Alves Abreu, Adriana Ferraz Costa e
Manuel Messias de Almeida Campos (Messias de Dona Dió) Axogan Quito-nanguê
idelmim Egibaia, pelas entrevistas reveladoras e documentos preciosos.
Agradeço, também, a todos quantos, direta ou indiretamente, contribuíram
para a concretização desse ideal.
À Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, à Pontifícia Universidade Católica de
São Paulo e a CAPES, pelos aulios recebidos.
O lugar, nosso próximo, restitui-nos o mundo:
se este pode se esconder pela sua essência,
não pode fazê-lo pela sua existência. No lugar,
estamos condenados a conhecer o mundo pelo
que ele é, mas, também, pelo que ainda não
é. O futuro, e não o passado, torna-se nossa
âncora.
Milton Santos (2005: p. 163)
RESUMO
Esta tese trata do processo cultural e das tradições religiosas existentes em
Vitória da Conquista, município localizado no Sudoeste da Bahia, área identificada
como Sertão da Ressaca e onde viviam os índios Botocudos, Pataxós e Mongoiós
que interagiram, destacadamente, com portugueses, italianos, espanhóis e africanos,
em sua maioria congoleses e angolanos.
Durante aproximadamente dois séculos, a agricultura e a pecuária foram
atividades preponderantes na região e o boi aparece como elemento importante na
vida da sociedade; talvez por isso, povoe o imaginário coletivo na condição de mito
fundador. Não obstante a Cidade estar inserida num contexto mais amplo, criou-se
uma cultura peculiar, um dentre os modos de viver e ser brasileiro.
Da segunda metade do século XVIII até a penúltima cada do século XIX, ao
que tudo indica, apenas a religião católica e as tradições afro-indígenas se faziam
presentes na Região. A partir dos anos 1890, surgiram o espiritismo kardecista e a
Igreja Batista; nos anos 1930, detecta-se a presença de terreiros de Candomblé de
Caboclos devidamente organizados. Desde então surgiram outras religiões.
Objetiva identificar a presença, a diversidade das tradições e como as famílias
ditas tradicionais, endogamicamente organizadas, distribuíram-se entre as diversas
religiões. Enfoca a Igreja Batista nas suas relações com as demais, especialmente
com o povo de santo.
Aborda a ocupação do Sertão da Ressaca e a organização social, política,
econômica e cultural local, até a Proclamação da República. A partir daí, divide a
história da Cidade em três períodos: a) de 1900 até 1930; b) 1930 a1970; c) 1970
até 2006. Elaborando um quadro dos intendentes e prefeitos, e outro, contendo o
número de templos das diversas religiões por bairros, confecciona um mapa religioso.
Os fiéis da Igreja Batista, de início, o de “famílias tradicionais”. Depois, a
Igreja perde as características de igreja familiar e se assume como fundamentalista,
indo buscar adeptos nos seguimentos populares. Do ano 1900 até 1930,
aconteceram conflitos entre esta e a Igreja Católica, e movimentação de fiéis entre
estas religiões.
Nas relações entre batistas e o povo de santo, deslocaram-se fiéis entre as
duas religiões, ocorrendo utilização de serviços mágicos das tradições afro-brasileiras
pelos batistas.
ABSTRACT
This thesis deals with the cultural process and religious traditions existent in
Vitória da Conquista, a municipality situated in the Southwest of Bahia, an area
identified as Sertão da Ressaca, where Botocudos, Pataxós and Mongoiós Indians
lived and interacted mainly with Portuguese, Italian, Spanish and African, mostly
Congolese and Angolans.
For about two centuries, agriculture and cattle farming were the preponderant
activities in the Region and the bull appears as an important element in the society
life; perhaps because of this, it dwells in the collective imaginary in the condition of a
founding myth. Although the City is inserted in a wider context, a peculiar culture was
invented in it, one among the Brazilian ways of living and being.
From the second half of the 18
th
century to the penultimate decade of the 19
th
century, as evidence has it, only the Catholic religion and the afro-indigenous
traditions were present in the Region. From 1890 on, the Kardecist Spiritism and the
Baptist Church appeared; in the 1930’s, the presence of caboclos’ well-organized
terreiros de Candomblé is detected. Ever since, other religions appeared.
It aims at identifying the presence and diversity of religious traditions in the
City and how the so called endogamy-organized traditional families were distributed
among the different religions. It focuses on the Baptist Church in its relationship to
the others, particularly with the people of saint.
It approaches the occupation of the Sertão da Ressaca and the local social,
political, economic and cultural organization up to the Proclamation of the Republic.
Thence, it divides the City history into three periods: a) from 1900 to 1930; b) 1930 to
1970; c) 1970 to 2005. With a board of Intendants and Mayors, and another with
temples from the different religions per neighborhood, it makes up a religious map.
The followers of the Baptist Church are at first from “traditional families”. Then
the Church loses its family church characteristics and assumes itself as
fundamentalist searching for adepts in popular segments. From 1900 to 1930,
schisms between this and the Catholic Church occurred, and followers’ movement
among these religions.
In the relations between Baptists and people of saint, there was followers’ shift
between the two religions and the use of magic services from the Afro-Brazilian
traditions by Baptists.
SUMÁRIO
INTRODUÇAO
11
PROBLEMATIZANDO A QUESTÃO: CRISTÃOS E POVO DE SANTO
12
A NECESSIDADE DE ESTUDOS LOCAIS
21
ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA E CRONOLÓGICA
25
DAS FONTES CONSULTADAS
28
CAPITULO I
TRANÇANDO O LAÇO NA OCUPAÇÃO DO SERTÃO DA RESSACA
31
A ENDOGAMIA LOCAL E OS LAÇOS DE PARENTESCO
36
O BOI LAÇO FUNDAMENTAL ENTRE GENTES E CULTURAS
40
O Boi do nego Rufino na sala do Cel. Gugé
49
A ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS
52
De água e luz
52
As comunicações
54
Os Negócios, a imigração e o crescimento
58
A filantropia e caridade
61
Serviço médico hospitalar
65
A Educação Escolar
66
A política, Intendentes e Prefeitos
71
Os Intendentes
71
Os Prefeitos
74
CAPÍTULO II
AS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS E O MAPEAMENTO RELIGIOSO
77
A EMERGÊNCIA 77
A CONSOLIDAÇÃO
90
A EXPANSÃO
98
CAPÍTULO III
OS PROTESTANTES E A ESPECIFICIDADE DOS BATISTAS 107