Download PDF
ads:
UNIVERSIDADEFEDERALDORIOGRANDE
PROGRAMADEPÓS-GRADUAÇÃOEMLETRAS
MESTRADOEMHISTÓRIADALITERATURA
CristinaFuentesHamerski
OSCRIMESDARUADOARVOREDO
VersõesesubversõesemCãesdaProvínciaeCanibais:paixãoemortenaruado
Arvoredo
RIOGRANDE
2010
ads:
Livros Grátis
http://www.livrosgratis.com.br
Milhares de livros grátis para download.
CristinaFuentesHamerski
OSCRIMESDARUADOARVOREDO
VersõesesubversõesemCãesdaProvínciaeCanibais:paixãoemortenaruado
Arvoredo
Dissertação apresentada ao Programa de Pós-
Graduação em Letras – Mestrado em História da
LiteraturadaUniversidadeFederaldoRioGrande–
FURG,comorequisitoparcialparaobtençãodograu
deMestreemLetras
Orientadora:Prof.ªDr.ªNubiaJacquesHanciau
RIOGRANDE
2010
ads:
CristinaFuentesHamerski
OSCRIMESDARUADOARVOREDO
VersõesesubversõesemCãesdaProvínciaeCanibais:paixãoemortenaruadoArvoredo
Dissertação apresentada como requisito parcial para
obtenção do título de Mestre, pelo Programa de Pós-
Graduação em História da Literatura da Universidade
FederaldoRioGrande
BANCAEXAMINADORA
Profª.Drª.NubiaTourrucôoJacquesHanciau(FURG)–Orientadora
Profª.Drª.SylvieDion(FURG)
Profª.Drª.SimonePereiraSchmidt(UFSC)
AGRADECIMENTOS
Agradeçosinceramentepelarealizaçãodestetrabalho:
- aos meus pais, Waldomiro e Rosangela, meus exemplos, pelo assíduo
acompanhamentoeincentivoatudooquevenhorealizando.Pelosmomentosdemuitoamor,
carinhoecompreensãoeprincipalmentepelamaneiracomofuieducadaepelosvaloresque
tragocomigo;
-aomeuirmão,Daniel,pedaçodemim,portornarminhavidamaisfeliz,mefazendo
sorrirnosmomentosemqueestavaexausta;
-aomeuesposo,Juliano,pormeapoiarincondicionalmenteemefazersentiramada
todososdias;
- aos meus amigos, em particular, a Iara, por estar sempre disposta a ajudar neste
momento,pelointeressedemonstradopormeutrabalho;
- ao corpo docente do Programa de Pós-Graduação em História da Literatura, que
muitocontribuiuparaminhaformaçãoprofissional.Emparticular,àprofessoraSylvieDion,
porcedergentilmenteartigosteóricos,bemcomooutrosdocumentosquecontribuíramparao
estudoeasustentaçãodestadissertação;
-àCapes,poroportunizaraminhabolsadeestudos;
- à literatura, por servir como terapia, me levando a desvendar sentimentos, a me
conhecermelhore,acimadetudo,pordiferenciarmeuolharemrelaçãoaomundo;
- agradeço em especial à professora e orientadora Nubia Hanciau, pela orientação
seguraecrítica,quemuitocontribuiuparaminhaformaçãotantoprofissionalcomopessoal.

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 7
1“OSCRIMESDARUADOARVOREDO”:VERSÕESHISTÓRICAS,
JORNALÍSTICASELENDÁRIAS 14
1.1OMAIORCRIMEDATERRA:DÉCIOFREITAS
14
1.2NARRATIVASJORNALÍSTICAS:“NOCALORDOMOMENTO”
28
1.3PROCESSOCRIMINAL1070
37
1.4ALENDADOSCRIMESDARUADOARVOREDO
48
2“OSCRIMESDARUADOARVOREDO”:VERSÕESESUBVERSÕESEM
NARRATIVASFICCIONAIS 55
2.1HISTÓRIAVS.LITERATURA
55
2.2ONOVOROMANCEHISTÓRICO:CONTEXTUALIZAÇÃOHISTÓRICA
59
2.3LITERATURAEHISTÓRIAEMCÃESDAPROVÍNCIA
68
2.4LITERATURAEHISTÓRIAEMCANIBAIS
78
2.5OCASODOCANIBALISMOEMCÃESDAPROVÍNCIAEEMCANIBAIS
87
2.6SUBVERSÃOÀNARRATIVAOFICIALEMCÃESDAPROVÍNCIAEEM
CANIBAIS
94
CONSIDERAÇÕESFINAIS 114
REFERÊNCIAS 118

RESUMO
Quem diriaquenapequena eprovinciana PortoAlegre, capital doRioGrandedo Sul,em
plenoanode1863,JoséRamoseCatarinaPalse,casalaparentementecomum,residentena
então rua do Arvoredo (hoje rua Coronel Fernando Machado), seria responsável por
exterminar friamenteváriaspessoas?Eparapiorar,acreditava-sequeusaramascarnesdas
vítimasparafabricarlinguiçasecomercializá-lasparaapopulaçãolocal.Mastãointeressante
quantoosdetalhesdessefatobizarrosãoasconstantestransformaçõespelasquaispassamas
inúmerasreapropriaçõesereescriturasaolongodosanosarespeitodessescrimes,chegando
finalmenteacontradizer
emmuitosaspectosahistória“oficial”.Esteéocasodosromances
CãesdaProvíncia(1987),deLuizAntôniodeAssisBrasil,eCanibais:paixãoemortenarua
doArvoredo(2004),deDavidCoimbra,quefornecemduasexpressivasversõessobreofato.
Considerandoesseeventomacabro presentenamemória coletivadosporto-alegrenses,esta
pesquisatemporobjetivoverificardequeformaosombrioepisódiodenominado“Oscrimes
da rua do Arvoredo” é trabalhado nas narrativas ficcionais referenciadas, estabelecendo
relaçõesdahistóriacomaliteratura.
ABSTRACT
WhowouldimaginethatinasmallandprovincialPortoAlegre,RioGrandedoSulcapital
city, in the exactly year of 1863, Jose Ramos and Catarina Palse, an apparently ordinary
couple, livingon the – so called– Arvoredo Street(currentlyknown as Coronel Fernando
Machado), were responsiblefor, coldly, exterminatingmanypeople. And, to make matters
worse,itisbelievedthattheyusedthefleshfromtheirvictims’bodiestomakesausagesand
soldthemamongthelocals.However,asinterestingastheintriguingdetailsofthisbizarre
fact,aretheconstanttransformationswhichalltheseveralreappropriationsandrewritesof
thesecrimeshavebeensubmittedtoalongtheyears,reachingthepointwheretheybecome
controversialinmanyaspectstothe“official”story.ItseemstobethecaseofthenovelsCães
daProvíncia(1987),byLuizAntoniodeAssisBrasil,andCanibais:paixãoemortenarua
do Arvoredo (2004),by David Coimbra, which deliver two expressive versions of what
happened.Takingintoconsiderationthismacabreevent,whichstillinthecollectivememory
ofpeoplefromPortoAlegre,thisstudyhasasitsmainpurposetoverifyhowthedarkepisode
named “The crimes of the Arvoredo Street” is seen in the referenced fictional narratives,
consideringtherelationshipbetweenhistoryandliterature.
INTRODUÇÃO
Comoantecedentesdestetrabalhodissertativoconsideroqueoprojetodepesquisaea
disciplinaintituladosLiteraturaeHistória
1
foramdecisivosnaescolhadaabordagemparaesta
dissertação.EntraremcontatocomconceitoseconhecimentosrelativosaocampodaHistória,
atéentãodesconhecidos,compreenderumpoucomelhoranaturezadosdiscursosficcionale
histórico, bem como analisar os pontos de contato e de distanciamento entre esses dois
camposdosaberestãoentreasmotivaçõesdaminhaescolhaenabasedointeressecadavez
maior em estudar as relações da história com a literatura e as possibilidades de interação
entresessesdoiscamposdoconhecimento.
DuranteasaulasdareferidadisciplinafizaleituradolivrointituladoCanibais:paixão
emortenaruadoArvoredo
2
,deDavidCoimbra,publicadoem2004,queretomaumsombrio
episódio conhecido como os crimes da rua do Arvoredo”, ocorrido em Porto Alegre, em
meadosdoséculoXIX.
Já possuía vago conhecimento acerca desse episódio, considerado quase uma lenda
urbana,emqueummoradordaruadoArvoredo,entre1863e1864,naentãopequenacapital
gaúcha, mata e esquarteja várias pessoas. Não bastasse esse fato macabro, acredita-se que
usouacarnedasvítimasparafabricarlinguiçaevendê-laem“seuaçougue”.
ApósaleituradeCanibais,narrativaquerecuperaoepisódioquefazpartedahistória
da Porto Alegre oitocentista e ficcionaliza figuras históricas de existência comprovada, a
saber,JoséRamosesuacompanheiraecúmplice,CatarinaPalse,senti-meinstigadaabuscar
outros textos e a realizar leituras mais aprofundadas e críticas sobre os referidos crimes,
passandoacogitarapossibilidadedetrabalharcomessaobraemminhadissertação.
AoprocurararespeitodoassuntonoslivrosdehistóriaencontreiOmaiorcrimeda
terra: o açougue humanoda rua do Arvoredo
3
, do historiador gaúchoDécio Freitas, cujo
foco de trabalho são os supracitados crimes. Ao dar continuidade às pesquisas, encontrei
tambémosegundodeumtotaldetrêsprocessoscriminaisinstauradoscontraJoséRamoseos
demais envolvidos nos assassinatos. À medida que a pesquisa e as leituras avançavam,
 
1
 Projeto Literatura e História, coordenado pela Prof.ª Dr.ª Nubia Jacques Hanciau, do Programa de Pós-
GraduaçãoemLetras,MestradoemHistóriadaLiteraturadaUniversidadeFederaldoRioGrande;edisciplina
LiteraturaeHistória,ministradapelamesmaprofessora.
2
COIMBRA,David.Canibais:paixãoemortenaRuadoArvoredo.PortoAlegre:L&PM,2008.Valeressaltar
quenodecorrerdestetrabalhoseráutilizadoapenasotermoCanibaisparareferir-seàobradeD.Coimbra.
3
FREITAS, Décio.O maior crime da terra: oaçouguehumano da Rua do Arvoredo – PortoAlegre(1863–
1864). Porto Alegre: Sulina, 1996. Com intuito de “separar a história e a lenda dos crimes de José Ramos”
(1996, p. 19), D. Freitas faz minucioso trabalho de pesquisa sobre o ocorrido, analisa documentos da época,
jornaiseprocessosarespeitodoepisódiomacabro.
emboraaindanãoestivessedefinidaaabordagemqueseriacontempladanaanálisedocorpus
ficcional, cada vez maior tornava-se o interesse pelo tema e a decisão de aprofundar as
pesquisasarespeitodaquelesinstigantescrimes.
AleituradoromanceCãesdaProvíncia
4
,deLuizAntoniodeAssisBrasil,lançado
em 1987, impõe-se nesse momento. Embora os crimes não sejam o tema principal nessa
narrativaquetratafundamentalmentedafiguradodramaturgoQorpo-Santoesuaconturbada
históriadevida,oromancedeAssisBrasilapresentaincontornávelabordagemarespeitodos
crimes,porissonãopoderiaserdesconsiderado,passandoacomporigualmenteocorpusde
análise.
Entãofoitomadaadecisãodeinvestigar,emCãesdaProvínciaeemCanibais,deque
forma o episódio é trabalhado. E surgiu a idéia de observar de que maneira o passado é
revisitado nas duas narrativas, quais recursos estratégicos os autores empregam para
ficcionalizarofatonopresente.
Aindaemrelaçãoaocorpusescolhidoparaanálise,tantoesdaProvíncia,deAssis
Brasil, quanto Canibais, de David Coimbra, o obras baseadas, ressalvadas as suas
particularidades, no sombrio episódio do passado porto-alegrense, constituindo duas
instigantes leituras a respeito dos fatos. São elas as duas narrativas de ficção mais longas
sobre o acontecido de que se tem conhecimento. Além disso, elas vão perfeitamente ao
encontrodapropostainicial,aqueladeestudarasrelaçõesdaliteraturacomahistória.
Dito isto, acrescento que, como baliza contrastiva aos antecedentes da escolha do
corpusficcionalesuasrelaçõesmaisimportantes,serãoconsultadasasinformaçõescontidas
nosegundoprocessocriminal,bemcomoaquelasencontradasemOmaiorcrimedaterra
5
.
 
4
BRASIL, Assis. Cães da Província. 8. ed.. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1999. Em 1987, Assis Brasil
defende, perante banca examinadora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, sua tese de
doutorado,oromanceCãesdaProvíncia,queganharianoanoseguinteoPrêmioLiterárioNacional.
5
EmrelaçãoaoensaiohistóricoOmaiorcrimedaterra,deD.Freitas,CláudioPereiraElmiremsuatesede
doutorado,Ahistóriadevorada:norastrodoscrimesdaruadoArvoredo,defendidanoanode2003naUFRGS
–noanoseguintepublicadacomolivro,sobomesmotítulo–alémdeestudarosdiferentesmomentosemquese
deu a apropriação discursiva dos acontecimentos referentes aos crimes da rua do Arvoredo, se empenha em
mostraraprecariedadedatesedeD.Freitasreferenteaocasodocanibalismo.Elmiranalisacomoesseautorse
vale,paraademonstraçãodesuasideias,doapoioemdocumentosquesóeleconsultou,queninguémviueque,
depois da escrita do livro, foram perdidos. Além dessas questões, também não desconsideraremos que todo
discursoéideologicamentemarcadopelaseleçãoqueohistoriadorrealizadosfatospresentesnarealidade.Essa
seleçãocriaumsegundosentido,algoquejánãocorrespondeinteiramenteàrealidadeobservada,poisésabido
queosujeitodesempenhapapelativo noconhecimentohistóricoea objetividadedesseconhecimentosempre
contém uma dose de subjetividade. Caso contrário, esse “conhecimento produzido seria sobre-humano”
(SCHAFF, 1983, p. 12). Levando em consideração esses fatores, no decorrer deste trabalho dissertativo
apontaremosos pontos frágeis da obrade D. Freitas. No entanto,as informaçõescontidas no referidoensaio
serão tomadas como históricas e como baliza contrastiva para análise das narrativas ficcionais em Cães da
Província,deAssisBrasileemCanibais:paixãoemortenaruadoArvoredo,deDavidCoimbra.Acreditamos
que otrabalhodeD.Freitas constitui,assimcomo o processo criminale as narrativas jornalísticasda época,
importanteleiturasobreoepisódioefatoressencialparaareconstituiçãodosfatos.
Paralelamente,recorrer-se-á,quandopertinente,àsnarrativasjornalísticasdaépoca.Paraisso,
seráfeitooentrecruzamentodasnotíciasfornecidas,comointuitoderecomporosfatosesua
construçãono“calordomomento”.Asinformaçõescontidasnessasnarrativas,acrescidasda
peça jurídica e do trabalho de Décio Freitas, além de sustentar a análise e auxiliar no
contraponto, no contraste e no levantamento das possíveis relações com as narrativas
ficcionais,serãoconsideradas“aversãooficialhistóricadosfatos”.
Já em relação ao tema escolhido, justifico sua relevância por meio de alguns
argumentosprincipais,desenvolvidosaseguir.Masantes,éimportanteapontarqueoscrimes
daruadoArvoredosecaracterizamcomoeventoinsignificanteemenorsepostosaoladode
“fatoshistóricosconsagrados”dahistóriadoRioGrandedoSuldoséculoXIX,entreelesa
RevoluçãoFarroupilha(1835-1845)eaGuerradoParaguai(1864-1870).
Os crimes de assassinato dos quais foram acusados José Ramos e Catarina Palse
6
,
casal aparentemente comum,que moravaem PortoAlegrena entãoruado Arvoredo,hoje
CoronelFernandoMachado,nãoconstituemum“fatohistóricoevidente”,deacordocomas
concepçõesdoséculoXIX.Mas,comosesabedesdepelomenososurgimentodosAnnalese
das contribuições da nova história, a história não é apenas aquela dos “grandes fatos”; a
micro-história
7
vemreforçaressascontribuições,cujaspropostasdesenvolvem-seduranteos
anos 70 do século XX, a partir das obras e das considerações teóricas de um grupo de
historiadores
8
,entreosquaisnotadamenteCarloGinzburgeGiovanniLevi.
Levando em consideração as contribuições da micro-história, os crimes da rua do
Arvoredo, aparentemente irrelevantes, ocorridos em meados do século XIX, na pequena
cidadedosuldomundo,representamumtemapassíveldeseranalisadoeestudado.Pretende-
seporintermédiodotrabalhodissertativoevidenciaresseepisódioquefazpartedahistóriado
Rio Grande do Sul, notadamente por meio de narrativas ficcionais, mas que foi negado e
 
6
Emrelaçãoao sobrenomedeCatarina,optamosporadotarnodecorrerdotrabalhoagrafiautilizadaporD.
CoimbraeporD.Freitas,“Palse”,emvezde“Palsen”,grafiautilizadaporAssisBrasilemCãesdaProvíncia.O
mesmosepodedizeremrelaçãoaosobrenomedochefe depolíciaresponsávelpelainvestigaçãodoscrimes.
Optamos pela grafia utilizada pelos mesmos escritores, Callado”, em vez de “Calado”, utilizada por Assis
Brasil–excetoemreferênciasàspersonagensdeCãesdaProvíncia.
7
 De acordo com Ronaldo Vainfas, em Os protagonistas anônimos da história: micro-história, os micro-
historiadores “combatiam a história somente preocupada com os fatos singulares, sobretudo os de natureza
política,diplomáticaemilitar.Combatiamigualmenteumahistóriaque,sepretendendocientífica,objetivavaa
verdade dos fatos, mediante a análise de documentos verdadeiros e autênticos [...]. Combatiam, enfim, uma
históriaquesefurtavaaodiálogocomasdemaisCiênciasHumanas,aantropologia,apsicologia,alinguística,a
geografia,aeconomiae,sobretudo,asociologia”(2002,p.16-17).
8
A atenção dos micro-historiadores volta-se para os pequenos eventos, deixando de lado a grande história
trabalhada pela historiografiadoséculoXIX. Observa-setambém grande esforçoporparte dos estudiosos da
micro-históriaemreconstruiravidacotidianadeumpovoqualquerdesprovidodearquivosedepersonalidades
ilustres.Ederecuperarahistóriaanônimavividalongedoscentrosdopoder,renegadapelahistoriografiaoficial
(GINZBURG,2007,p.251).
silenciado pela história tradicional por parecer insignificante quando posto ao lado dos
“grandesacontecimentos”doséculoXIX.
Apesar disso, os crimes da rua do Arvoredo representam um tema importante na
históriadoRioGrandedoSul,pois,alémdasuspeitadeoshabitantesdacidadeteremsido
transformados em involuntários canibais, o trágico episódio servirá para alimentar o
antigermanismo presente no Rio Grande do Sul no período. O fato de Catarina Palse ser
alemãedeo ougue,antesdeRamos, tersidodepropriedade dotambémalemão Carlos
Gottlieb Claussner, desperta a animosidade racial latente da cidade. O trágico episódio
tambémgerouumincidentediplomático,transformandooscrimesemumaquestãodeEstado
paraoImpério.
Comisso,PortoAlegre,palcodonefastoepisódio,naépocacompoucomaisdevinte
milhabitantes,aindasemnenhumarepresentatividadeeconômicaepolítica,ganhadestaque
emjornaisestrangeiros.Decertaformaoacontecimentocontribuiigualmenteparaalimentar
oantigermanismoemoutrospaíses.
Segundo D. Freitas, inclusive Charles Darwin teria escrito um artigo acerca do
episódioocorridonacapitalgaúcha.Em1868,ocientistateriarecebidonotícias–nãosesabe
se pormeio de jornais ingleses ou porinformações do cônsul inglês em Porto Alegre – e
escrito um comentário. Como podemos perceber, o acontecimento adquire contornos
complexos,queserãotrazidosàluzeexploradosnodecorrerdestadissertação.
Alémdisso,podemosafirmarqueoacontecimentoreveste-sedeextremapertinênciae
relevanteobjetohistoriográficoseforlevadoemconsideraçãooprocessodeficcionalização
porquepassouaolongodequase150anos.Comprova-seque,emborasetratedeum“fato”,
ocorridomaisde cemanos, oscrimesdaruadoArvoredoaindasãotemadepalpitante
atualidade, pois o caso continua despertando interesse em vários campos: jornalístico,
televisivo,literárioeartístico.Agravuraqueilustraacapadestadissertação
9
,deautoriade
Rodrigo Pecci, expressa o perene interesse pelos crimes. O desenhista faz o seguinte
comentário: “Há uns três anos, voltou-se a discutir essa lenda. Já morei na Fernando
Machado,semprepassavapertodolocaldoscrimes.Nagravura,mostroacenadoassassinato
[...]”(ZEROHORA,11mar.2010,p.3).Vê-sequeatéhojeamentedoserialkillercontinua
intrigando. Ocaso decanibalismo está presentena memória coletiva dos porto-alegrenses.
Contribuem para isso os diversos discursos produzidos a partir do episódio. O historiador
CláudioPereiraElmirchamaaatençãoparaaquestão:
 
9
PECCI,Rodrigo.Oscrimesda ruadoArvoredo,2010.1 gravura,metal,18x24cm gravura.Disponívelem:
<http://aconteceemportoalegre.blogspot.com/2010/03/grupo-aflexa-lanca-trabalho-no-shopping.html>.
Seexisteumpreceitoclássico,nahistória,segundooqualumdosrequisitos
paraaereçãodedeterminadoacontecimentoemfatohistóricoéjustamentea
notabilidadelogradapelo feito, os crimes da rua do Arvoredo alcançam tal
categorização não exatamente pela grandeza do ato nefasto praticado, mas,
bem mais, pelas representações que se operam a partir do mesmo,
caracterizadas, na estilização de que são portadoras, por um perigoso
afastamentodo“acontecido”queesnaorigemdessesdiscursos(2004,p.30).
Infere-sedaspalavrasdeC.ElmirqueoscrimesdaruadoArvoredoseconformaram,
enquanto fato histórico, em lugares e momentos diversos. As reapropriações sucessivas e
diferentes leituras do acontecido, em diferentes lugares e épocas, é o que lhe garante
notabilidadeecontribuiparaquenãosejaesquecido.
Nessaperspectiva,asmetasaseremalcançadasnestetrabalhodissertativosão:
1. RecomporahistóriadoscrimesdaruadoArvoredosegundoaversãoencontradaem
O maior crime da terra, de Décio Freitas, no processo criminal n.º 1070 e nas
narrativasjornalísticas.
2. SepararalendaeahistóriadoscrimesdaruadoArvoredo.
3. ObservarospontosdecontatoededistanciamentoentreLiteraturaeHistória.
4. Percorrer a trajetória do novo romance histórico e avaliar em que medida Cães da
Província,deAssisBrasil,eCanibais:paixãoemortenaruadoArvoredo,deDavid
Coimbra,encontram-seestruturadosdentrodonovosubgênero.
5. Analisaroepisódio“OscrimesdaruadoArvoredo”nasnarrativasficcionaisCãesda
Província e Canibais: paixão e morte na rua do Arvoredo, bem como o
entrecruzamentoentreliteraturaehistóriapresentenosromances.
6. EstudardequeformaCãesdaProvínciaeCanibaistrabalhamcomosupostocasode
canibalismoenvolvendooscrimes.
7. Avaliar em que medida Cães da Província e Canibais encontram-se estruturados
dentrodomodelo dametaficção historiográfica,proposto por Linda Hutcheon, bem
como analisar a subversão dos romances selecionados ao modelo tradicional
denominado“romancehistórico”.
8. Estudar as estratégias narrativas utilizadas pelos autores para subversão da versão
oficial que se conhece sobre os fatos, narrada por Décio Freitas, encontrada no
processocriminalenasnarrativasjornalísticas.
9. Apontar as subversões à narrativa oficial em Cães da Província e em Canibais e
levantarasnovasversõesdosfatospresentesnasnarrativasficcionais.
“OsTemposMudaram”
Amantes,poetas
Cientistas,estetas
Ostemposmudaram.
Mulheresdiscretas
Escribaspatetas
Ostemposmudaram.
Nadaécomoantes
Aluajánãotemamantes
Nemluar.
Voar,voar
Voltarnotempo
Remexernacinzadosegredo
VerdenovoaRuadoArvoredo
Esonhar.
Oscrimes
Ocastigo
Sentença
Prisão
Históriasempremalcontada
Almaperturbada
Ilusão.
Acasa
Oalçapão
Opoço
Oporão...
Memóriaqueficouguardada
Lendaarrebatada
Paixão.
GRECCO,s/d,apudELMIR,2004,p.92.
1. “OS CRIMES DA RUA DO ARVOREDO”: VERSÕES HISTÓRICAS,
JORNALÍSTICASELENDÁRIAS
1.1OMAIORCRIMEDATERRA:DÉCIOFREITAS
OinteressedeDécioFreitaspeloscrimesdaruadoArvoredosurgiuduranteosanos
40.Nesseperíodo,ErnestoCorrea,diretordoDiáriodeNotícias,visandoasuperaratiragem
do jornal Correio do Povo, designou a D. Freitas a tarefa de pesquisar alguns “crimes
célebres” ocorridos em Porto Alegre, para, em seguida, promover a novelização
sensacionalista dos fatos e editá-los sob forma de folhetim. O primeiro folhetim tratou
exatamentesobreoscrimesdeJoséRamoserecebeuotítulodeOaçouguehumanodarua
doArvoredo
10
.
Apósváriosanos,D.Freitasretomasuaspesquisassobreoassuntoeaspublicasob
formadeensaiohistórico
11
.Agoracomintuitodesepararahistóriaealendanoscrimesde
JoséRamos,ohistoriadorreproduzemOmaiorcrimedaterra:oaçouguehumanodaruado
Arvoredo,publicaçãode1996,oqueelepôderecuperardahistóriasobretaisfatos.
Issoposto,passemosàhistóriadoscrimesdaruadoArvoredo,segundoaversãodeD.
Freitas, encontrada em O maior crime da terra
12
; também recorreremos à importante
 
10
VeraesserespeitoojornalDiáriodeNotícias,PortoAlegre,dezembrode1948:“OouguehumanodaRua
doArvoredo”,folhetimdivididoemonzecapítulos.Oprimeirocapítulo,intituladoMisteriososdesaparecimentos
em1864,éapresentadonodia9dedezembro,eoúltimo,sobotítuloAlendaeoscrimesdeJoséRamos,nodia
23dedezembro,sobaautoriadeMaurícioMachado,pseudônimoutilizadoporD.Freitas.
11
As motivações que contribuíram para que D. Freitas retomasse suas pesquisas sobre os crimes estão
associadas à notícia do desaparecimento dos processos referentes ao caso. Segundo o historiador, a justiça
instauroucontraJoséRamostrêsprocessoscriminais,emtrêsvolumesseparados.Oprimeiroprocessoversou
sobre oassassinato do português Januário e seu caixeiro. O segundo se deteve no assassinato doougueiro
CarlosClaussner, e oterceirotraziaemseu bojo ocaso dalinguiçafeitadecarnehumana(1996,p. 17). Os
outros dois que versam sobre os assassinatos de Januário e seu caixeiro e os seis assassinatos ligados à
fabricaçãodelinguiçacomcarnehumanadesapareceramporcompleto,lançandoaocasocertaaurademistérioe
despertandomaiorcuriosidade.OjornalZeroHoradodiade16/6/1992,frenteaodesaparecimentomisterioso
dosdocumentosdoscrimesdaruadoArvoredodoArquivoHistóricodoEstado,questiona:“comooprocesso
do açougue humano da rua do Arvoredo passou de um arquivo para outro, numa transferência, no mínimo
irregular, eninguémsabia?Eumacerteza: odiaemque aprovíncia foicanibalcontinua assombrandoPorto
Alegremaisdecemanosdepois”(p.34).Defato,nãosesabequandotaisprocessosdesapareceramdoArquivo
Públicoenãosetemcertezasedefatoexistiuoprocessoreferenteaocasodalinguiçadecarnedegente.D.
Freitas (1996) afirma que esse processo ainda se encontrava no Arquivo Público em 1948, ano em que foi
fotocopiadopelohistoriador.
12
DiferentementedapropostadeD.FreitasnaelaboraçãodeOmaiorcrimedaterra,cujotextocomeçacoma
descriçãodamortedeJoséRamos,portantopelofim,optou-seporapresentarosfatosnumalinhacronológica,a
fim de torná-los mais claros para o leitor. A narrativa de D. Freitas sobre os crimes da rua do Arvoredo é
dividida emdoze partes, seguida de uma “Informação bibliográfica” ao final. Não existem seções distintas e
nomeadasnotexto,Introdução”e“Conclusão”.C.Elmir(2004)chamaaatençãoparaessefato.Segundoele,
parecehaverdeliberadopropósitodeseconstruiruma“narrativaúnica”,comomenornúmerodecortespossível
entreasunidadesquea integram.Emalguns momentosdaleitura, fica-secoma impressãodeque a divisão
propostacumpreopapeldedarfôlegoaoleitorparacontinuaraexecutarsuafunçãodedescobertadatrama.
contribuição de outros documentos históricos, expostos a seu tempo, com o objetivo de
recomporaversãohistóricadosfatos.
OscrimesdaruadoArvoredoperpetradosemPortoAlegrenosanosde1863e1864
contaram, além da participação de José Ramos e de sua companheira-cúmplice, Catarina
Palse,indubitavelmenteosmaioresresponsáveispeladesditadenovevítimas,tambémcomo
auxílio ecumplicidadedo ougueiroalemão Carlos Gottlieb Claussner,quemaistardese
torna uma das vítimas de José Ramos; do ferreiro alemão Henrique Rithmann, mais
conhecido por“ocorcunda”,e deCarlosRathmann
13
, quedesempenhamtarefasauxiliares,
masdamesmaformaespantosamenteperversas.Trata-se,pois,deumasociedadecriminosa
elaboradaporcincocomparsas.Comoeporqueestescriminosostãoatípicosseconhecerame
seenquadrilharamnomedíocreburgosulino,sãofatosquenãosesabe.
Noentanto,atravésdaleituradeOmaiorcrimedaterra,podemosinferirqueumadas
explicaçõesemotivaçõesparaoscrimesdeJoséRamosedeCatarinaPalsepodeserextraída
da história de vida particular de cada um deles. Ambos têm em comum acontecimentos
trágicosemsuasvidas.EmrelaçãoaJoséRamos,quandocriança,setemoseguinte:
Seupai,ManoelRamos,nasceunaprovínciadeSãoPedroenoinícioserviu
numesquadrãodecavalariadoexércitodeBentoGonçalves.Masdesertoue
fugiuparaSantaCatarina,ondecasoucomumaíndia,MariadaConceição,e
seestabeleceucomvendadesecosemolhadosnailhadoDesterro.Aínasce
JoséRamos,omaisvelhodostrêsfilhoshomens.Nosserões,opaicontaos
feitos da guerra, que José ouve atentamente. Pede ao pai que conte, sem-
númerodevezes,ascargasdecavalariaemquesedavaotoquede“degolar”,
insistindo para que ele dê os detalhes sobre o modo de praticar a degola
(FREITAS,1996,p.23-24).
Entende-se da passagem acima que desde a infância José Ramos demonstra grande
interesse a respeito dos feitos da guerra contados por seu pai, em especial pelo modo de
praticaradegola.Alémdisso,Ramos,najuventude,torna-separricida:“[...]umdia,járapaz,
saiemdefesadamãe,espancadapelopaibêbado.Nalutaentreosdois,Josélançamãode
uma faca e fere gravemente o pai, que morre dois dias depois. O parricida foge para a
provínciadeSãoPedro”(FREITAS,1996,p.24).
   
Segundo essa estrutura de exposição, o se tem, de imediato, a possibilidade de vislumbrar o roteiro a ser
seguidopelanarrativa.Elasupõe,aocontrário,umprocessodeapropriaçãopaulatinadahistória,quesedásem
oconhecimentopréviodaquiloqueseráoprópriolance.
13
Aemigraçãonãofoiumsucessoparatodososalemãeseháentreelesalgunsreduzidosàmarginalidade.Esse
é o caso de Carlos Rathmann, que aos 61 anos não tem ocupação ou morada fixas. Alcoólatra inveterado,
perambuladebotequimembotequim,filandobebida.Nessemomento,vivenaCascata,defavor,noranchode
umachácara.
D. Freitas, de certa forma, também explica o comportamento transgressor de José
Ramos pelo reconhecimento do ethos de animalidade e de violência constitutivo do ser
humanodemaneirageral(ELMIR,2004).Emoutraspalavras,eledefineaanimalidadecomo
“anaturezaessencialeimutáveldohomem”.Talafirmaçãoficaevidentenoexcertoaseguir:
Francamente,nãovejoocasodeJoséRamoscomoumaformapatológicade
manifestação da animalidade humana, visto que corresponde à natureza
essencialeimutáveldohomem,comoatestaoquadrosangrento,devastadore
caóticodestefimdemilênio,nasruasdascidadesenosconflitosbélicos.O
conceito de patológico não tem nada de científico, já que as diversas
disciplinas psicológicas não projetam luz capaz de explicar e prever estas
orgiashomicidas.Oqueahistóriadacivilizaçãoe,particularmente,docrime,
testemunhamforadedúvida,équeofenômenopodesemanifestaremtodos
osindivíduos,todosospovos,todosossistemassociais,semqueninguémou
nenhuma instituição sejam capazes de prevê-lo e, muito menos, impedi-lo
(FREITAS,1996,p.18-19).
Oautoracreditatambémqueoimpulso,amotivaçãodaviolênciahomicidadeve-seao
imenso e fantástico prazer proporcionado pelo poder de matar, de dispor da vida de outro
homem.Aindasegundoele,nochamadolatrocínio,avantagemeconômicaéapenaseventual
e, como o demonstra a história criminala exemplo tem-se a história dos crimesdeJosé
Ramos,queobtinhacompensaçõesmateriaisnadamaisdoquemodestas:
Ramosreúneasroupas eosobjetos pessoaisdasvítimas e guarda-osnuma
caixa,noquarto.Sempreguardoucuidadosamenteaspertençaspessoaisdas
vítimas,nãoasvendendoouusando.Sãocomorelíquias.Àsvezes,abreuma
dascaixas,retiraaspeçaseficalongotempoaolhá-las(FREITAS,1996,p.43).